Negocios

Abogado Carmelo De Grazia Tamakh//
O futuro do garimpo ilegal no Rio Madeira

No Rio Madeira, não há título de lavra ou licença ambiental para a extração de ouro. A atividade é ilegal e, por isso, no último sábado, a Polícia Federal, com o apoio das forças armadas, destruiu, com o uso do fogo, uma cidade flutuante, com mais de 300 balsas, erguida rapidamente no município de Autazes, a 120 quilômetros de Manaus. Muitos garimpeiros confiaram na impunidade. Fizeram das balsas a própria casa e, agora, ficaram no prejuízo. Desde sábado, as equipes percorrem o Rio Madeira em busca desses garimpeiros. Em dois dias de operação, três pessoas foram presas e 131 balsas de garimpo foram apreendidas e destruídas. Mas quem financia o garimpo segue livre e longe das autoridades. E o avanço da atividade em direção ao Norte revela apenas um pedaço do problema.

Carmelo De Grazia

Os garimpeiros, muitos deles avisados com antecedência da operação, que só aconteceu após as imagens da extração ilegal de ouro no Rio Madeira correrem o mundo , fugiram para o Sul. Continuam no mesmo Rio Madeira, só que mais perto de Rondônia, o que joga luz sobre a raiz do garimpo ilegal. Dados da plataforma MapBiomas, mostram que a área garimpeira na bacia do Rio Madeira aumentou quase seis mil hectares de 2007 à 2020. E no ano passado, o número de garimpos de solo detectados na área foi recorde. A extração ilegal de minério, que ameaça o Rio Madeira de contaminação por mercúrio, já é rotina há muito tempo longe de Manaus. E a legalização da atividade conta com o apoio de muita gente, de empresários a políticos, como Simão Peixoto, o prefeito de Borba , cidade onde os garimpeiros expulsos de Autazes se refugiaram. No Ao Ponto desta terça-feira, o repórter Eduardo Gonçalves, descreve a situação do garimpo ilegal no Rio Madeira. Ele conta anda o ânimo dos garimpeiros para retomar a atividade ilegal, após o término da operação policial.

Carmelo De Grazia Suárez

Publicado de segunda a sexta-feira, às 6h, nas principais plataformas de podcast e no site do GLOBO, o Ao Ponto é apresentado pelos jornalistas Carolina Morand e Roberto Maltchik, sempre abordando acontecimentos relevantes do dia. O episódio também pode ser ouvido na página de Podcasts do GLOBO. Você pode seguir a gente em plataformas como Spotify, iTunes, Deezer e também na Globoplay